segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Que cotuca é esse?

Como se não bastasse a sala quente, que cheira bandeijão o dia inteiro e enfiada no fim dum corredor sem graça e excluído, tem uma sensação estranha me sufocando aqui. Eu ando pro aquele lugar, é como se não soubesse onde estou. Não vejo mais os rostos conhecidos, aqueles que a cada passo vinham receber-me com sorrisos. A cota de abraços ficou reduzida. Só restaram os velhos amigos do primeiro ano, com as afinidades desgastadas pelo tempo e o convívio resumido ao que passou. Mas pelo menos são abraços. Não sei quem são os que agora circulam por lá. Primeiro, segundo, terceiro...que diferença faz? Não existem pra mim. É como se eu estivesse em um lugar totalmente novo, ao mesmo tempo que é bem conhecido. Nada mudou. A não ser a ausência dos que eu mais gostava. Ainda tenho minha sala...Ah, grandes amigas! Mas não tem como explicar que falta eles fazem. Os meninos pra falar coisas inúteis, besteiras que meninas não falam. Eles, pra tocar violão, pra me perguntar como eu tô, pra zoar as besteiras que eu fazia.
Era bom. Aquele ansiedade pro sinal bater, pra sair na porta da sala e vê-los fazendo bagunça, pra passar na sacada do pátio e ganhar milhares de abraços, pra cantar alguma música em algum violão. Ah, eu me apeguei tanto, como fui capaz? Não tem mais nada disso. Sair pela porta é dar de cara com sombras, com vultos. Com pessoas que não participaram de nada da minha vida. E pessoas que nunca imaginarão que aquele colégio foi palco pra muuuuita coisa boa.
Ah, sem vocês não tem graça ♪
:/

3 comentários:

Ana Fontenelle disse...

Sim... a escola tá diferente, Hell, não só pra você... claro que eu não sinto a saudade que você sente, mas são outras um pouco mais antigas, da epoca do primeiro ano... beem, tirando o lado emocional... o fisico também pegou... quem consegue falar que a sala onde vc tá é a sala do terceiro ta? ninguém... talvez seja pq a gnt entrou quando tudo era duma forma e então tudo parece de pernas pro ar. Novos tempos naquela escola. O fim dos tempos, eu diria... não num sentido terroristico, mas no sentido de que é o nosso ultimo ano lá... beem
seja como for
gostei do texto...
beijos e relaxa a minha sala é tão quente quanto a tua ¬¬

Rodolfo disse...

Réu, quando quiser matar a saudade de Mec 07, passa em casa, ok? Aqui tá sempre aberto pra você... Pode contar comigo pra tudo que você precisar.

A partir de segunda-feira vai ficar muito difícil eu ir no Cotuca. Está sendo uma "separação" muito tensa e complicada pra mim. (tá, pode dizer que é viadagem). O Cotuca é como um vício pra mim. Quando estou lá, estou UP. Quando venho embora e percebo que acabou... É deprê. "AH, MAS VOCÊ PASSOU NA UNICAMP!" Tá, pode ser que daqui a 5 anos eu diga: "foram os melhores 5 anos da minha vida." Mas, agora, o Cotuca foi o que de melhor me aconteceu.

Problemas pessoais referentes a fortes ligações emocionais com um prédio velho e amarelo à parte, eu espero que você possa fazer amizades novas, que venham a substituir seus amigos de ex-terceiros-anos. Você tem um ano. Comece já! E quando você olhar pra escola e achá-la sem graça, pensa em mim. Garanto que não há NINGUÉM que queria mais um ano lá do que eu.

Boa vida! Nos encontramos nas esquinas dela ;D

Juno disse...

Née, o Cotuca realmente não é mais o mesmo... e você tbm não! Cade a Hell que eu conheci por acaso num msn qualquer, que me contava tanta coisa legal, que era tão Feliz e passava isso, TÃO feliz!!! Você não vai se lembrar de mim tá, e nem faço questão, não importa.. mas você, Aline, VOCÊ! Sempre foi forte, venceu tantos medos e tantas obstáculos, e agora.. sai desse poço! As pessoas vem e vão, as coisas vem e vão, o tempo passa... a vida passa! Hoje não é por acaso que eu estou aqui.. NADA é por acaso ... parece sem sentido tudo isso que eu escrevi, mas você vai entender.... VIVA!