sábado, 7 de maio de 2011

Tem coisa que me impressiona.

Anônimo diz:
vai estudar ,vai ,ô "futura médica de araque".Tem q tentar ser médica mesmo pq se não for hhahahahahahah eu já sei o q vc vai virar..aliás todo mundo já sabe


Recebo muitos comentários aqui. Aliás, foi através deste blog que me aproximei de muita gente, mas também que fui muito criticada. Criticas são normais. Aquele velho clichê das propostas de redação: o livre arbítrio humano. Mas o que a maioria das pessoas não tem claro, é que discordar é muito diferente de agredir. Quem discorda geralmente busca argumentos, quer convencer o outro de que seu pensamento está correto. Mas e quem agride? Falta com respeito, invade a privacidade e o direito do outro de ser como é.
Gosto quando as pessoas são capazes de me olhar nos olhos e dizer que um dos meus defeitos está me prejudicando e eu não estou percebendo. Costumo me aproximar de pessoas que não tem medo de dizer o que pensam. Em compensação, existem aqueles que se sentem extremamente incomodados com alguns aspectos da minha personalidade, mas que simplesmente me xingam por isso. Não sei se tentam me atingir pra que eu enfraqueça, ou se não aceitam que eu exista. Só sei que quando alguém me xinga por algo que escrevi aqui, está deixando claro um preconceito que, perdoe-me os conservadores, mas é incoerente que exista em pleno século vinte um.
Mulheres sempre foram repreendidas ao expor seus desejos, e de maneira violenta tratando-se de desejos sexuais. Sinceramente, quando é que nos libertaremos desse pensamento patriarcal? Por que os homens se vangloriam das façanhas que fazem, das pessoas que traem, da quantidade de mulheres com quem saem? Por que quando nossos meninos atingem a puberdade tratamos de ensiná-los e os estimulamos à iniciação sexual (enquanto nossas meninas ainda estão dentro de casa, tentando convencer o pai a vestir uma saia curta)? Por que tanto as revistas de mulheres nuas quanto às de homens nus são feitas para homens (homossexuais no último caso, mas nunca para mulheres)? Francamente, se a lei já trata ambos os sexos de maneira igualitária, porque o moralismo não pode fazer o mesmo?
Mulheres também tem desejos, fantasias, fetiches. Mas infelizmente a maioria passa a imagem de um ser desprovido de tais sentimentos. Admiro aquelas que são capazes de não se importar com o que os outros vão pensar e explicitam tudo isso. E mais do que admiro, eu sou assim. Eu deixo claro o que eu sinto, o que eu penso, o que eu quero. Não vou ser hipócrita em dizer que não penso em sexo, enquanto sei que isso não é verdade (e pra nenhum ser humano). Não vou me privar das coisas boas porque é "errado". Não sei se alguém se lembra do pensamento individualista, mas sou eu quem decido aquilo que quero. E sinceramente prefiro dizer: sexo é bom e eu gosto, do que esconder uma coisa tão normal. A única pessoa que à quem não se engana, é a si mesmo.
Pior do que essa repressão moralista, é o que a acompanha. Agora preciso ser direta. Eu vou ser médica, e se você passar pela porta daquele cursinho e perguntar por mim vai receber a resposta que merece. A Aline é uma aluna dedicada, que não falta, que questiona, que faz por merecer a mensalidade suada daquele lugar. A Aline é aquela que fica na porta da sala, sorrindo um bom dia pra todo mundo independente do dia. De segunda à sabado, com sono, quando o cansaço aperta. Ela é alguém que mergulhou de cabeça naquilo que quer, e ela não só quer como VAI realizar o sonho de passar em medicina. Ela e todas aquelas pessoas maravilhosas que tem as mesmas atitudes. Não, ela não vai ser puta quando crescer. E mesmo que fosse, mereceria o mesmo respeito. Não, ela não vai ser puta porque ela gosta de sexo, porque ela coloca pra fora todos os desejos que não cabem em si. Não, ela não vai ser puta por ser sincera, por não ter vergonha das aparências. Ela vai ser médica.
Não espere, meu caro(a) que a pessoa que ficar com você seja casta apenas por demonstrar isto. Tenho pena de corno manso.
Te cuida. :*


"Sou o que quero ser, porque possuo apenas uma vida e nela, só tenho uma chance de fazer o que quero. Tenho felicidade o bastante para fazê-la doce, dificuldades para fazê-la forte, tristeza para fazê-la humana e esperança suficiente para fazê-la feliz. As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas, elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem em seus caminhos." Clarice Lispector

4 comentários:

Anônimo disse...

Olá moça,
Certa vez Baltazar Gracian disse:
“Metade do mundo rir da outra metade, e ambas são tolas.”
Muitos vivem a vida como zumbis, vivem em função de sonhos que não seus essas pessoas quando encontram alguém com ideais diferentes ficam assustadas, sentem inveja, medo. Perseguir quem se comporta de forma diferente é um ato comum, infelizmente este botãozinho de atacar quem se comporta diferente está ativo em muitos que se julgam humanos, inteligentes.
Te desejo força, pois o caminho do autoconhecimento muitas vezes é solitário, até quem amamos muitas vezes não compreende. Como pode esperar que um estranho te entenda?
Até ontem eu não te conhecia, mas ontem eu achei um blog te alguém muito interessante,
Não falo de traços simétricos, cujo resultado final se manifesta em pura beleza;
Falo de uma mulher de muita força, que o Grande Mestre deu sensibilidade suficiente para viver no caminho do bem e em justiça;
Poderia eu escrever linhas e linhas como base apenas no que posso sentir, mas não sou poeta. Bom, boa sorte nos estudos. Siga em frente, pois você tem um coração cheio de vida, eis obstinada o suficiente para salvar muitas vidas.
Tenha um ótimo domingo, escreva mais que irei ler tudo!



Well

Aline [ou Réu] disse...

que bom que existem pessoas assim ;)
obg!

Layz Costa disse...

Adoreii o blog....e principalmente o texto..hehe

Anônimo disse...

Eu que fico feliz por haver pessoas como você!
Com relação ao comentário anterior que fiz uma pequena correção:
“Muitos vivem a vida como zumbis, em função de sonhos que não são seus, essas pessoas quando encontram alguém com ideais diferentes ficam assustadas, sentem inveja, medo. Perseguir quem se comporta de forma diferente é um ato comum, infelizmente este botãozinho de atacar quem se comporta diferente está ativo em muitos que se julgam humanos inteligentes, no entanto é um comportamento bem primitivo.”

Boa noite!

Ass.: Well